terça-feira, 22 de março de 2011

Abrindo o coração

Os dias não tem sido fáceis. Quer dizer, acabei de fazer uma viagem incrível, inesquecível mesmo, mas é difícil voltar pra Porto Alegre e pros problemas que passam dentro da minha cabecinha maluca. Acho que sou uma pessoa extremamente carente. Pego e me apego com frequência. E o dedinho podre sempre aponta pra pessoa errada, aquela que não vai me valorizar ou logo vai perder o interesse na pessoa aqui.
Mas, parece que depois da lesão eu criei um bloqueio. Não em mim, mas nas pessoas. Tipo, faz dez anos que não namoro ninguém. Gostei de várias pessoas, mas nenhuma que segurasse a onda o suficiente pra ficar comigo de verdade. Talvez porque na minha cabeça seja uma barra muito grande e trabalhosa namorar uma garota cadeirante. Talvez porque eu seja doida demais.
Na última noite que estive em SP nessas férias rolou uma análise freudiana sobre meu caso. Dois grandes amigos, o Sid e a Cinthya, ambos cadeirantes, começaram a avaliar meu comportamento e me dizer porque acham que eu ainda estou sozinha mesmo não querendo estar. Primeiro, eles avaliaram que eu me exponho demais: tanto o lado muito porra louca e bagaceiro quando o lado carentão. Dai eu me pergunto, vale a pena mudar quem se é só pra não ficar só? Difícil. Na minha utopia ainda vai pintar o príncipe encantado que vai ser completamente apaixonado por mim exatamente desse jeito insano que sou.
As vezes sinto falta das paixões correspondidas da adolescência. De deitar na grama juntinho pra ver estrelas, de fazer sexo maluco em lugares inusitados, de deixar rolar e se entregar sem medir as consequências. De me jogar e saber que tem alguém que vai me segurar.

20 comentários:

Gabriele disse...

Se para qualquer mulher no mundo hoje já está dificil arrumar um relacionamento (que preste), imagine então para nós cadeirantes. O grande fato é que nós acabamos mesmo criando um bloqueio. Nós achamos que somos "fardos" pesados demais, e que ninguém pode com a nossa carga, ou que não é justo fazer o outro carregar... Mas ao mesmo tempo nós queremos o amor, precisamos dele tanto quanto qualquer outra mulher. E ficamos aqui fantasiando com um cara perfeito que não vai ligar pra nossa sonda, pra fralda, pra escara e ainda vai levar nossas rodas pra encher e apertar nossos parafusos. E ficar lembrando da época em que as paixões eram mais fáceis, não vai resolver o nosso problema. Acho que quando fizemos a reabilitação física, deviamos ter tido uma reab. emocional também. Aprender a amar o outro, e deixar eles nos amarem.

Ana disse...

Sei muito bem do que falam... sou deficiente fisica, porém, não cadeirante o que não me afasta das dificuldades de locomoção. Passei 29 anos da minha vida esperando o príncipe encantado. Vivi todo o tipo de situação horrorosa de carência, preconceito e baixa-estima. No momento em que estava decidida a me anular como mulher, amante, ser sexualmente ativo o tal principe apareceu! Incrível como ele me completa e aceitou todos os meus dedinhos tortos...pés...mãos...pernas. Eu já não acreditava mais nessa possibilidade qdo ele chegou. Não desistam...esse princípe existe!! Deus não nos fez para sermos sozinhos, logo sei que vcs vão viver tudo que estou vivendo no quesito "coração". Abs...Carol

Silvia Lopes Barbosa - Instrutora de Yoga disse...

Todo mundo tem medo daquilo que não conhece. E infelizmente as pessoas não sabem como é a vida de um cadeirante à fundo. Talvez eu não me interessaria nunca por um cadeirante por achar, na minha ignorância, que eram pessoas tristes ou doentes.
Mas aconteceu com a gente e hoje eu vejo com outros olhos.
Enfim, mas o que quero te dizer é que vc é uma pessoa maravilhosa e o que é seu está guardado !
Eu tenho certeza que seu príncipe encantado também está à sua procura... é só vc deixar que ele te encontre. Beijo GG

Eduardo disse...

Oi Ju, achei você no orkut e ja add...
essa semana ainda compro teu livro, só vou terminar o do Marcelo antes hehe
foi um prazer conhecer você.
Não se importe em mudar o seu jeito, as pessoas aprendem a gostar de você do jeito tu és.
caso não lembre, sou o gaúcho do msc Orchestra

beijão!

Cesar disse...

Assim é nossa vida né Jú ? lembra quando fui te conhecer a quase um ano atrás?
Gostei de ti, voltei fazendo plano pra arrumar emprego ai na capital, arrumar lugar pra morar...namorar contigo...
Aí... te liguei e falei que tava apaixonado por ti... tu me respondeu:
“não esquenta que isso passa !!!!!!”

DEDO PODRE O MEU TAMBEM?

L@ine disse...

Juliana, gosto da sua sinceridade e autenticidade. Sou um pouco parecida contigo nesse quesito. Mais não mude, seja você mesma sempre, em qualquer circunstância porque isso não tem preço. A pessoa que te merecer é aquela que vai te aceitar como você é, ás vezes a gente também tem que se permitir em tomadas de decisões que não são fáceis, mais eu te entendo perfeitamente.

aldrey disse...

Sou meia parecida contigo,sou porra louca,mas asa vezes esperamos muito da outra pessoa e nos ferramos,mas não por isso deixamos de procurar alguém,desistir nunca!!E não deve mudar não,quem gostar de vc vai gostar de tudo..E eu conheço muita mulher q não é cadeirante e reclama da mesma coisa,será que está faltando homem?kkkk
beijos querida

Juliana Carvalho disse...

Gabriele, concordo muito contigo! Brigada por dividir as ideias!
Ana, que maravilha que o teu príncipe já apareceu! Vou continuar esperando 'sentada' o meu, hehehe!
Madame Silviáaa, depois de pegar teu buque esse principe vai ter que aparecer!!!
Dudu, que legal que tu me achou! Qual teu e-mail para manter contato? Estamos programando outro cruzeiro!
Oi Cesar, querido! Mas, tu te apaixonou sem nem me conhecer direito, ehehehe!
Oi Laine, obrigada, vou continuar refletindo sobre mudar ou não mudar, eis a questão!
Fala Aldrey! Eu acho que tá faltando homem com H no mercado, só tem safado por aí!!!
Bjs tchurma!
Ju

Paulino Dias disse...

Oi Juliana,
Obrigado sincero por estar a me ensinar tanta coisa, mesmo com este mar enorme a nos separar! Os teus posts como que abrem um outro mundo, ao mesmo tempo muito íntimo e universal...
Um abraço (ainda não encontrei jeito de obter o teu livro...).

Cesar disse...

Beleza Jú !
Oque tentei te exemplificar no meu post anterior (acima)
é que oportunidades sempre aparecem em nossas vidas, cabe a nós aceita-las, ou continuar a batalha em busca do que imaginamos ser o ideal. Mas fica tranqüila moça! Sempre encontramos o que procuramos....foi assim comigo e com certeza será contigo também.
A gente leva uns tombos, mas no final tudo se ajeita.
beijo

Ronald disse...

Relaxa Ju! Acho q é só aproveitar o momento sem se preocupar em encontrar a pessoa perfeita pra vc (se é q isso existe). Mas tem q deixar essa nóia de ser um fardo pesado só pelo fato de ser cadeirante. Nada a ver, VAMBORA. Bjs

maria leticia disse...

Ju,um dia quando tu menos esperar teu prícipe aparece!O pessoal tem razão:Tá difícil!!!!Mas Aparece,ACREDITA!E tem mais, não muda nada!!!A receita do teu bolo está certa!!!Pode também ficar exigente, não é pra qualquer um!Bjo grande

Anderson disse...

Eu acho que vocês deixam se levar pela situação em que vocês deficientes fisicos se encontram. Principalmente você Sra. Juliana Carvalho. Não é por causa de cadeira de rodas, ou da falta de uma perna, ou da falta de um braço, ou deformação de um rosto, ou por ter transtorno bipolar, que uma pessoa normal não vai se apaixonar por uma pessoa deficiente fisica. Quando vejo você, é como se eu visse um anjo. Inteligente, serena, carente, bela, não tenho mais adjetivos, e se dissesse isso para você pessoalmente, você diria que eu estaria mentindo. No orkut, mesmo eu disse que daria minhas pernas para você se fosse possível, mas acredito que isso não mudaria a vontade das pessoas amarem você em nada. Na atual situação em que me encontro, todas as vezes que te vejo, é... como se você estivesse perto de mim, e isso não é feitiço, é amor mesmo, e se é amor posso te dizer que te amo, mesmo distante de você, e vivendo um sonho impossível... Como é bom sonhar ?!?! Existem diferenças entre nós dois? Sim existem, não podemos negar, mas nessas circunstâncias, um teria que aprender com o outro. Com amor todas as dificuldades são ultrapassadas e superadas. Muitas sras. nesse site falaram sobre a dificuldade de encontrarem um bom relacionamento, só que eu acho que elas se esqueceram o que é amor de verdade. Tem muitos homens mau amados, como eu por exemplo. As mulheres hoje procuram: luxo, homens musculosos, pessoas endinheiradas, verdadeiros artistas e principes de conto de fadas que nunca vão aparecer. A sociedade e a mídia também contribuem para isso, onde surgem as dificuldades no relacionamento, e muitos casais devidos aos problemas, acabam se separando. Isso é a covardia e a ignorância da vida cotidiana entre dois seres. O que confirma a veracidade dos fatos das sras. Gabriela e Ana, nos comentários.
Pessoas querem mudar de Municipio e de Estado, para poderem amar você... E você simplesmente coloca bloqueios e diz que isso vai passar, para um pretendente. Não jogue água fria nos planos de ninguém. A única coisa que me corrói, é ter visto "Juliana Carvalho", tarde demais, e a distância que a separa do meu coração. Por acaso recebeste meu cartão pelo correio no seu aniversário. Fecho meus olhos, beijos, Anderson.

SCI Adjust - Partners for Life! disse...

Ju,
Me chamo Janaina e sou casada a um ano e pouquinho com o Pete, maridão show de bola que veio de rodas em vez de cavalo branco. Tenho mais a lhe dizer, mas vou tentar mandar por email. Agora queria só registrar que:
"...pode ser quem for, nasceu pra ter AMOR; só não sabe quando ele virá..."

Que vc possa encontrar o seu na hora que os dois estiverem preparados uma para o outro!!!
Beijão enorme!
Jan

Fabiola disse...

oi ju!
olha só acabei de escrever um texto gigante pra ti aqui e acabei perdendo tudo então gostaria de te pedir se vc pudesse me enviar teu e-mail qro muito conversar melhor ctg!
bjos paz e bem
fabíola seibel
meu mail é
fabiola_seibel@hotmail.com

Adalberto Quirino disse...

Ju, não entre em paranóias já que isso não acontece só com você. Existem várias explicações para esse fenômeno chamado "amor incorrespondido", uns apela para o momento astral, outros para a numerologia, religião, condição socio-cultural... Mas a verdade é que seja um indivíduo sem membro(s), sem movimentos, de pé ou sentado sempre será belo não só por dentro e nem só por fora, porém também pelas suas atitudes. Por isto, na minha opinião, você possui beleza de sobra por dentro, por fora e pelo que faz.

Obs.: Quando quiser mudar de paixão me liga...rsrs

Carlos Amaral disse...

Ju, foi só vc abrir o coração e chegaram altas declarações!!! Legal. Temos q ser autênticos? Sim. Mas dentro de um limite. Jamais nos anularmos, mas a adequação ao outro é válida, viável e justa. Ou seja, o equilíbrio. Algo como "você me aceita como sou, eu te aceito como você é, mas vamos afinar a sintonia juntos, ok?". Sou apaixonado por uma cadeirante há nove anos, e muito feliz e realizado. Difícil? Sim. Sei que muitos de nós querem a aparência, o status em detrimento do sentimento verdadeiro. Muitos se apegam ao preconceito e ao temor da reação da sociedade. Muitos suprimem seus sentimentos com o receio de abrirem seu coração a alguém. Mas, no fundo, no fundo, quando tem que acontecer, acontece. Você se acha "p... louca?" Carente? Apaixona-se facilmente? Como disse, a chave é o equilíbrio. Seu par irá te aceitar como você é, e vc irá aceitá-lo como ele é. E vcs irão aparar suas arestas com o tempo, cedendo um pro outro na medida certa. Sem estresse. Amor é assim, flui, não cobra nem incomoda. Paz e luz pra vc, um beijo enorme e um abraço "tri" apertado!!!!

disse...

Menina... como explicar isso tdo? Sua analise foi entre amigos, a minha foi na sala de terapia mesmo! Como vc ainda espero o moço encantado, em cima do cavalo branco.... mas preciso confessar uma coisa... Tenho medo se subir em sua garupa e perder o equilibrio, e ser derrubada no meio do caminho! Preocupações de gente esclerosada, que tenta viver c limitaçoes e inseguranças;)
|Nao vi nenhum selo aqui, creio q nao curta, mas indiquei seu blogg, lá no meu.
gde abraço Dá

Luís Eduardo disse...

Acabei de vê-la num programa na TV Brasil, e amiga dedo podre parece ser uma caracteristica feminina rsrrsrs vc é linda e parabéns por tentar e fazer sua vida uma vitória diária.

Vida independente vs dependente disse...

Juliana, só quero lhe disser uma coisinha: O importante não é encontrar a pessoa certa e sim ser a pessoa certa. Bjs.
Gostaria muito que acompanhace meu blog para me dar umas dicas de como escrever um livro, pois vais ver que comecei escrever uma auto biografia e gostaria de dicas.