terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Back again

Depois das férias incríveis, tive uma incrível pneumonia. Yeah, ar condicionado gelado, calor escaldante, cigarrinho de menta e imunossupressores não combinam. No laudo médico estava escrito 'BPC grave', bronco pneumonia grave. Dois terços do pulmãozito direito ficaram tomados de bactérias e tomei na veia uma cacetada de antibióticos. Perdi a conta de quantas vezes me furaram as veias em dez dias de internação. O recorde foi uma sequencia fenomenal de seis agulhadas e nada de sangue. Meus acesos venosos são difíceis. Quase fui pra uti, fiquei no oxigênio, tive uma constipação bizarra que quase me fez ir pra faca e sobrevivi. Mais uma vez, vaso ruim não quebra.
Foi foda, passei mal, ruim mesmo. Mas, ao mesmo tempo foi bom. Parei de fumar, estou mascando chicletes de nicotina para afastar a rabugice e a abstinência. Revi atitudes e consegui finalmente estabelecer as metas para 2011: trocar de carro (passatão dá muita manutenção), morar sozinha (quase trinta na cara morando com a mamãe não dá!), trabalhar na rébs, voltar a malhar e fazer os alongamentos das pernas direitinho e fazer a porra do livro virar filme.
O negócio é deitar de noite e visualizar os objetivos. O negócio é durante o dia tomar as atitudes certas para conseguir o que se quer. O negócio é acreditar que tudo é possível e que se somos todos feitos da mesma inhaca, se uma pessoa pode, porque eu não poderia? Não tem uma pá de aleijado que mora sozinho? Então eu também vou conseguir. Vai ser difícil? Com certeza, pelo menos no começo. Vai ser foda ter que levantar pra buscar copo de água ao invés de escravizar os andantes da casa, mas tudo tem solução: frigobar do lado da cama!

E a bipolaridade segue a mil. Tem dias que tudo faz sentido e a vida vale a pena. Tem dias que não acho lugar no mundo e respirar é um sacrifício. Terapia now. Mais um objetivo.

15 comentários:

L@ine disse...

Huahuhauahau Juliana, curti muito o post, suas palavras são sempre muito autênticas. Acredito que nada na vida é por acaso e as metas só tendem aumentar a medida que nossas vidas tomam um rumo que não esperamos, hehehe. É o que nos faz repensar. E as mudanças (com o intuito de melhora) são sempre bem vindas. Dá aquele friozinho na barriga mais é isso que nos torna vivos.

P.S.: To doida pra ler seu livro, compro na primeira oportunidade que tiver.

Um bjo grande da L@ine.

Juliana Carvalho disse...

Oi L@ine, friozito na barriga é tudo mesmo. Brigada! Depois me diz o que achou do livro!
Bjs Ju

Camila Sol disse...

Ola Juliana...
vim dar uma lida em seu blog... e fiz questao de seguir...
eu e @deborilda fizemos uma maetria com voce. http://solobservando.blogspot.com/p/on-line.html

Abraços!!

RASBRITO disse...

Parabens por ter superado mais essa.
Gostei muito de suas palavras, especialmente a parte de "alongar as pernas" e tal.. tb estou voltando pra fisioterapia... tenho 36 anos e já penso em como estarei daqui 20 anos...
parabens.

aldrey disse...

Isso tudo pelo menos tu parou de fumar,eu tive que parar por estar na cadeira,mas sabe que eu fumo charuto,adoroooo,não traga,e passa a ansiedade...kkkk
bjs querida

Milene disse...

Mais uma bipolar na minha vida não dá... kkkkkkkkkk
Flor, tem um tempão que não leio suas postagens e estava com muita saudade. Fiquei feliz com as conquistas e parar de fumar é uma graniosa. Continue na luta, pois no começo será muito difícil; eu nao fui fumante, não, mas convivi com muitos.
Boa sorte na empreitada e que venha o resto!
bjs

Juliana Carvalho disse...

Oi Camila, espiei blog e me vi lá ;)
Hello Rasbrito, é difícil pra mim pensar no futuro aleijado...
Fala Aldrey! Vou experimentar um cubano!
Brigadão, Milene!
Bjs em todos, Ju

Carlos Amaral disse...

Mudanças para a melhor são muito bem-vindas. Há certos momentos q temos q pensar e repensar nossa vida. O medo de mudar às vezes aterroriza, mas isso é o q nos torna únicos!
Gosto do seu jeito de escrever. Um tanto franco e ácido às vezes, mas sempre verdadeiro, dá pra perceber q vc escreve com o coração aberto, sem muitos rodeios. Um grande beijo, muita paz e muita luz pra vc!

Mauricio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Oi Juliana
Meu namorado é lesado medular T3 e mora sozinho a 2 anos em São Paulo capital.Ele tem uma vida super independente,trabalha, vai ao mercado,sai com os amigos,comigo(claro..rs)tudo mesmo. Uma moça faz limpeza na casa uma vez por semana e o resto ele vai mantendo como dá. Tudo é questão de ir se adaptando aos poucos. A mãe morou com ele nos primeiros meses, eles saiam juntos e faziam os percursos que ele teria que fazer, tipo o caminho do metro para ir trabalhar, padaria e tal.
Ele está bastante feliz e orgulhoso de ver como está conseguindo se virar de boa.
Você consegue. Fato.

Juliana Carvalho disse...

Valeu, Carlos e Mariana! Bjs Ju

Eduardo Camara disse...

Ju, o maior impedimento pra morar sozinho, pelo menos aqui no Rio, é o dindin. Tirando isso o resto é mole, mole... Não sei se aí é a mesma coisa. Tb demorei pra sair da casa dos pais por causa disso, mas agora só sei que morar sozinho é bom demais! Quando vem por essas bandas novamente? A casa tá de portas abertas... Beijos!

Juliana Carvalho disse...

Oi Edu, tô com vontade de ir meados de março! Vou querer certo o pouso! Beijocas!

Silvia Lopes Barbosa - Instrutora de Yoga disse...

Ah ! Agora eu gostei ! Força para continuar assim ! bj GG

Franci disse...

hehehehehehehe
estou pensando em imobiliar meu quarto esse ano... claro, pensando em torna-lo acessivel...

Vou pedir pra incluir no orçamento um frigobar para colocar ao lado da cama... Como nunca pensei nisso antes? Costumo dormir com os litrinhos de agua ao lado ( o que os amigos chamam de "mamadeira")...

Ótima idéia Ju....